O que é Storytelling e como ele me ajuda a vender mais e melhor?

Antes de qualquer coisa, digamos que é uma técnica que pode ser usada em diversos momentos como apresentação de um projeto, venda de produtos e serviços, discurso em público, apresentação de uma algo inovador, criação de proposta de valor, na sua vida pessoal ou profissional, no seu cotidiano ou nos negócios, mas que seja envolvente.

Não tem nada de completamente novo, a não ser o uso da palavra em si, que vem do inglês e está relacionada à uma narrativa relacionada a algo relevante. Em inglês a expressão “tell a story” significa “contar uma história” e storyteller é um “contador de histórias”.

Contar uma história não necessariamente remete ao mundo infantil, mais do que isso, aqui você verá que muitas empresas de grande renome estão usando esse recurso como forma de abordagem e envolvimento com seus clientes.

Mas, afinal, o que é storytelling?

Consiste em um método que utiliza palavras ou recursos audiovisuais para transmitir uma história. Esta história pode ser contada de improviso ou pode ser uma história polida e trabalhada. Mas de qualquer forma, a história tem que chamar a atenção do ouvinte, ser envolvente, transmitir a mensagem

O Storytelling consiste na partilha de uma história “real” (não necessariamente, mas deve passar essa ideia) criando uma relação de proximidade entre os interlocutores. Com a aproximação vem a mensagem, subjetiva, mas impactante, de modo que quem ouve/vê/sente não consegue fugir e, de modo geral, compartilha da história.

O ser humano estabelece ligações interpessoais através do ato de contar e ouvir histórias, que façam parte do seu contexto.

Rafael Rez disse em seu site (http://www.novaescolademarketing.com.br/marketing/o-que-e-storytelling/):

Venda mais contando boas histórias sobre como o seu produto faz parte da vida dos seus clientes.

Claro que pode, e de fato já está, sendo usado para vender uma ideia ou um produto. Mas não é apenas inventar uma história e sair contando, tem que chamar a atenção, envolver, ser cativante e transmitir uma boa mensagem.

Então o principal segredo do Storytelling está em atribuir significados emocionais à elementos técnicos por meio de um contexto, que faz parte da vida do interlocutor. Esse contexto emocional auxilia uma empresa a trabalhar a curiosidade e a expectativa dos seus consumidores, aumentando seu envolvimento.

A Endeavor já escreveu sobre o assunto em https://endeavor.org.br/storytelling/ e retratou muito bem o principal objetivo do storytelling:

Uma história que comove e permanece: o storytelling nada mais é do que a apropriação pelo mercado de consagradas técnicas narrativas.

Narrativa do jeito certo

É simples, o que não quer dizer fácil, mas de qualquer forma, a maneira correta de criar uma narrativa (afinal o storytelling narra algo) tem a seguinte estrutura:

– Introdução: Apresenta os personagens, localizando-os no tempo e no espaço, além de introduzir o problema a ser tratado na história.

– Desenvolvimento: Através das ações das personagens, constrói-se a trama e o suspense que culmina no clímax (o ponto mais alto/relevante da história).

– Conclusão: Existem várias maneiras de se concluir uma narração. Esclarecer a trama é apenas uma delas, mas também pode-se deixar no ar para que o interlocutor pense por conta própria qual o seu melhor final para a história.

Por que o mundo corporativo voltou seus olhos para o Storytelling?

Principalmente pelo fato de que uma história boa e bem contada nos faz ter muito mais interesse pelo conteúdo, prestar bastante atenção e absorver a mensagem de forma lúdica. A gente quer absorver cada detalhe da narrativa.

Isso significa que quando se mergulha numa história, mergulha-se de cabeça. A pessoa larga tudo o que estiver fazendo e foca sua atenção no outro interlocutor. Surpreendente, mas não sem lógica, pelo contrário, é mais do que lógico e tem “gente grande” usando isso a seu favor.

Vivemos em uma era de excesso de informação, isso é fato consumado! As pessoas são constantemente bombardeadas por propagandas e muitas empresas lutam pela atenção de um potencial cliente. Nada mais justo do que passarmos a ignorar os meios tradicionais de propaganda. Já sabemos de cara que um discurso vai ser de auto promoção bem nas primeiras palavras.

Portanto, as pessoas criaram uma defesa, uma imunidade essas muitas abordagens tradicionais. É aí, neste contexto, que o storytelling ganha uma importância vital. Isto porque contar uma história interessante é uma das maneiras mais eficazes de obter a atenção de alguém. Falar do seu contexto, envolvê-la na mensagem, trazer à tona seus sentimentos do modo mais sutil possível, mas intenso. No final das contas, a empresa “vendeu” seu produto/serviço/marca da melhor maneira possível, transformando seus clientes em fãs (ou no mínimo mais abertos à marca).

E quem já usou storytelling?

Volkswagen, Cardstore, Beats, Budweiser, Natura, Apple, Bauducco e muitas outras, mas veja uma campanha da Dove abaixo:

Imagine uma mãe vendo esse comercial, é emoção à flor da pele com certeza. Não lhe ofereceu diretamente um produto para que compre, mas mostrou a marca Dove e vendeu nem que seja o nome da empresa.

Não é só pra grandes empresas, saiba usar

É legal responder algumas perguntas bem simples sobre a história que você quer contar:

  • O que você quer falar? Torne mensagem é clara e sensível.
  • Com quem você quer falar? Esteja próximo do seu público.
  • Por que você quer falar? A história precisa ter conteúdo e uma mensagem a ser passada.
  • Onde você quer falar?
  • Quando você quer falar? O momento ideal não é o seu, é o do seu ouvinte/leitor.
  • Como você quer falar? Através de vídeo, texto, áudio ou sinal de fumaça, atente-se para o meio usado. Cantando, interpretando, fazendo um documentário, dançando ou simplesmente soltando o verbo, use a forma que trará mais proximidade com seu público.

Dê suas próprias respostas à essas perguntas, e também faça mais perguntas que lhe ajudarão a alcançar profundamente seu público.

Deixe uma resposta